Não elabore, apenas faça o que tiver que fazer

Table Of Contents

Revisado por: Matheus Bach, Cypherpunks Brasil

ver lista de contribuidores

Vinicius Yaunner

Esse texto não tem pretensão a nada, é apenas um desabafo e vai para onde eu estiver afim. Talvez eu atualize ele um dia, duvido que isso aconteça.

Entre 2014 comecei a ser ativo em grupos no Facebook e Telegram, eram grupos variados de Linux, política, livros, RPG, hacking, cyberpunk, arte e programação em geral. Podia ficar um tempo absurdo só tentando provar meu ponto, discutindo com gente que nunca vi na vida.

Em 2018 comecei a participar do projeto Cypherpunks Brasil como tradutor, iniciei traduzindo cartas que o Ross Ulbricht escrevia na prisão. Atualmente ainda mexo com traduções e agora também cuido do site (tento) com outros membros. Nesse tempo comecei a trabalhar de carteira assinada (antes trabalhava apenas freelancer) e por motivos óbvios minha vontade de discutir na internet diminuiu até chegar onde estou.

Simplesmente não vale a pena gastar tempo elaborando frases apenas para provar seu ponto à outra pessoa. Compensa mais fazer algo útil na vida. Quem está disposto a participar ou iniciar algo, seja criando seus próprios projetos, participando de outros existentes, se dedicando a um hobby ou aproveitando esse tempo para jogar, ler, assistir algo, levar cachorro para passear, está gastando seu tempo muito melhor do que o infeliz discutindo na internet e que pensa que está arrasando.

Um ponto interessante para deixar isso explícito é que até mesmo um anarco-capitalista é mais revolucionário que um marxista brasileiro médio, sendo que esse último, como um amigo meu já me disse, só serve para ocupar vaga em algum curso de ciências sociais, enquanto, o “ancap” mexe com moeda fora do escopo governamental, fabricação de armas, criação de redes anônimas, sistemas descentralizados, pirataria, tráfico de drogas, agorismo preto, cinza, branco, verde, etc., enquanto o marxista simplesmente vai discutir no twitter ou Facebook, fazer acordo com a polícia para um protesto pacífico e denunciar quem de fato faz algo nos protestos. Isso quando não é um larper de classe média-alta que está lá só para pagar de politizado.

Da mesma forma que antigamente Marx dizia que o lumpemproletariado não faz revolução, hoje um marxista brasileiro se acha revolucionário por fazer uma thread no Twitter de “jogos de esquerda” e ignora qualquer um que tem de fato mais aspiração para ser algo que essa categoria de fracassado. Enquanto um anarquista se organiza, cria grupo de apoio mútuo, participa da criação de zines e traduções de textos simplesmente por que achar interessante, faz campanhas de ajuda aos necessitados, participa ativamente de grupos de colaboração a causa indígena e é claro, explode algumas coisas uma vez ou outra.

Resumindo tudo que eu falei para te ridicularizar por perder tempo lendo isso tudo, mesmo o título deixando claro. Não vale a pena ficar discutindo sobre seu ponto com gente random na internet, simplesmente faça o que tiver que fazer e no máximo mande um “beleza, corno” para pessoa. Estude, pratique, jogue conversa fora, toque o terror e divirta-se, não perca tempo debatendo dessa forma. Como os antigos anarquistas falavam, Be Gay Do crime.


Tutorial de uso do Github via website
Feliz aniversário Tim May, esperamos retribuir o presente que nos deu

Comments