Acelerando o Anarquismo - uma introdução ao anarco-transumanismo

Traduzido por: Vinicius Yaunner
Revisado por: Matheus Bach

Acelerando o Anarquismo

Uma introdução ao anarco-transumanismo

Blueshifted

"Ser humano é querer ser mais"

“À ousadia pertence o futuro”

Os tempos mudaram. As fantasias tecnológicas selvagens dos primeiros anarquistas se tornaram realidade, como a internet, a pílula, a terapia hormonal e a impressão 3D, expandindo dramaticamente a agência humana. Ao mesmo tempo, a paisagem mudou. Os anarquistas frequentemente se concentram no imediato, ou se preocupam em voltar a lutar contra as batalhas do passado, e não se prepararam adequadamente para as lutas e desafios futuros. Não precisa ser assim.

O anarco-transumanismo é o reconhecimento de que a liberdade social está inerentemente ligada à liberdade material e que a liberdade é, em última análise, uma questão de expandir nossa capacidade e oportunidades de nos envolver com o mundo ao nosso redor. É a compreensão de que nossa resistência contra as forças sociais que nos subjugariam e nos limitariam é apenas parte de um espectro de esforços para expandir a agência humana — para facilitar nossa investigação e criatividade.

Isso significa não apenas estar livre das limitações arbitrárias que nossos corpos podem impor, mas também para moldar o mundo ao nosso redor e aprofundar o potencial de nossas conexões entre si por meio dele.

Isso significa que as ferramentas que usamos devem ser abertamente conhecidas e infinitamente personalizáveis; significa corpos que não estão presos a processos nos quais não temos voz. Sabe que a fome de escolha por trás do controle da natalidade, dos membros regenerados e da redesignação sexual é a mesma fome que organiza os trabalhadores e ateia fogo nas prisões. É uma luta viver livre… e fazê-lo por mais um ano, mais uma década, mais um século. Significa não apenas transcender as restrições de gênero, mas também da genética e de todas as experiências humanas anteriores. Significa lutar para ter a plena atualização de quem e do que queremos ser, sempre que quisermos.

Significa desafiar e alterar as condições que poderiam nos governar. Significa que quando existem ferramentas para melhorar nossas vidas, elas devem ser usadas; que ninguém deve morrer de fome quando tal escassez pode ser eliminada. Significa envolver-se vigilantemente com a natureza, em vez de intimidar ou render-se a ela. É o conhecimento de que a vitória da classe trabalhadora só chegará verdadeiramente quando cada trabalhador individualmente possuir os meios de produção — capazes de fabricar tudo e qualquer coisa para si. É um engajamento pró-ativo com as condições ambientais que forçam a hierarquia e o coletivismo inescapável. Significa libertar nossa sociedade das hierarquias das paisagens bidimensionais, mover nossas infraestruturas destrutivas para fora da biosfera e, eventualmente, sacudir a civilização sedentária e tomar nosso lugar como caçadores-coletores entre as estrelas.

Significa criptografia — canais inquebráveis de comunicação privada somados a uma colmeia inquebrável de ideias e conhecimento. Também significa a abolição da privacidade pública — a criação de um mundo onde as ações que realizamos uns com os outros são compartilháveis e verificáveis em um instante. E, em última análise, será a liberdade de ultrapassar a largura de banda limitada da linguagem e conectar-se cada vez mais diretamente uns aos outros — para fundir mentes e transcender subjetividades individuais conforme desejado.

Anarco-Transhumanismo é todas essas coisas e qualquer uma delas.

Fonte: Accelerating Anarchism - An Introduction to Anarcho-Transhumanism


Manifesto Anarco-Hacker (2018) v.2
Carta de Ross para Liberty Forum

Comments