A tempestade que aproxima

Table Of Contents

Traduzido por: Vinicius Yaunner
Revisado por: k3ybladewielder

A tempestade que aproxima

DarkFi

Nota do tradutor: Esse manifesto é do projeto DarkFi , ele vem durante o vazamento que a Wikileaks soltou durante o governo Obama e anteriores e continua até os dias atuais.

Estamos em 2013. O diretor do FBI faz um discurso intitulado “O problema que está escurecendo”. Solenemente, ele alerta para uma crise emergente na aplicação da lei. Desde as divulgações de Snowden, o aumento da conscientização pública sobre a vigilância incentivou o uso amplo de tecnologias de criptografia — o que ele chama ferramenta tecnológica preferida dos criminosos.

Infelizmente, a lei não acompanhou a tecnologia, e essa desconexão criou um problema significativo de segurança pública. Nós o chamamos de “escurecimento”

-James Comey, diretor do FBI

O discurso destacou um risco emergente online: a popularização em massa da criptografia ameaça criar uma zona online permanente que é impenetrável para a aplicação da lei. Nós mantemos essas zonas sombrias para remover as barreiras para que uma sociedade verdadeiramente democrática se realize. Desenvolvimentos recentes em DAOs(organizações autônoma descentralizada) e DeFi(finança descentralizada) representam um passo empolgante em direção a esse futuro.

Avanços adicionais em criptografia, como provas de conhecimento zero, estão despertando uma nova era de desafios e convulsões. Este documento oferece uma visão geral desses avanços e apresenta nosso projeto: DarkFi.

DarkFi não é uma startup corporativa. É um experimento econômico democrático, um sistema operacional para a sociedade.

Sociecídio e a Megamáquina

A situação piorou desde que Comey documentou pela primeira vez o “Problema das Trevas” em 2013. A lógica da expansão do estado, juntamente com a impressão infinita de dinheiro e o industrialismo, submergiram a sociedade em um estado de guerra constante. O poder e o aparato estatal controlam, oprimem e vigiam a sociedade, enquanto a grande tecnologia nos envolve em uma prisão digital.

Este estado de guerra foi denominado “Sociecídio”. A sociedade está cada vez mais privada de sua natureza moral e política. As pessoas foram transformadas nas massas fascistas em rebanho.

A tecnologia da Internet é centrada em obter lucro dos usuários para trabalhos de baixo valor (clicar em anúncios). Isso leva a enormes operações de coleta de dados e à construção de uma megamáquina de vigilância. Isso incentiva a docilidade e o consumo, em vez de uma userhip individualizada ativa. É uma arquitetura de opressão estruturada no controle do usuário.

Inteligências artificiais mais novas e melhores estão sendo constantemente aprimoradas para travar uma guerra contra a resistência e forçar as pessoas restantes à megacidades gigantes. Com a chegada das Moedas Digitais do Banco Central (CBDC) e da renda básica universal (UBI), o poder centralizado está rapidamente tentando fechar todas as arenas econômicas concorrentes. O estado corporativo busca monopolizar a vida econômica. A pontuação de crédito social da China tem sido uma experiência instrutiva que os países ocidentais procuram imitar.

O que resta neste mundo empobrecido é uma nova forma sinistra de fascismo e uma sociedade morta que perdeu seu tecido moral e político. Essa sociedade morta é incapaz de se auto-organizar ou agir com iniciativa. A megamáquina busca constantemente métodos inovadores para extrair óleo do solo, peixes dos oceanos e sangue vital da sociedade, mesmo quando esses recursos estão esgotados a níveis de crise.

Por 20 anos trabalhamos com software livre. Foi um movimento com incrível vitalidade e criatividade, explorando ideias muito antes que a indústria proprietária ousasse tocá-las. Mas ser um desenvolvedor de software livre em tempo integral era uma situação difícil. Criamos um valor tremendo, mas estávamos quase sempre sem recursos. Não tínhamos como recuperar parte do valor que estávamos criando. A incapacidade de capturar valor significava que nossa expansão era limitada e continuamente restrita em recursos. Portanto, esses conceitos brilhantes que foram pioneiros nunca poderiam ser realizados e a sociedade perdeu todos os benefícios de uma tecnologia gratuita que poderia ter sido.

O movimento do software livre possuía desenvolvedores de classe mundial com uma comunidade de crentes firmes. Mas o movimento simplesmente carecia de recursos por não haver um modelo econômico.

Tokenização

Com o poder da tokenização, agora temos uma alternativa. O dinheiro programável permite um rico conjunto de técnicas para desenvolver redes econômicas.

A engenharia de token e DAOs estão destruindo a estrutura básica do velho mundo. O velho mundo é corporativo, hierárquico e rígido. Este novo mundo é rico, intenso e criativo.

No modelo corporativo clássico, você tem uma dicotomia consumidor-produtor. Esta distinção não existe na criptografia. O foco está na riqueza da comunidade e do time. Em vez de uma empresa que explora os usuários para obter lucro e protege sua propriedade, os proprietários e produtores são a própria comunidade.

O valor de um projeto é diretamente proporcional à sua comunidade. Os tokens capturam o valor gerado por uma comunidade e circulam esse valor de volta para a própria comunidade. A capacidade dos projetos de fomentar a participação, o entusiasmo e o envolvimento é, portanto, crucial. As comunidades promovem a autonomia por meio do discurso, da negociação e da narrativa. Isso, por sua vez, leva a transformações democráticas do indivíduo, moldando-o para os valores de autogoverno e autodesenvolvimento.

Em nenhum lugar essa evolução social é mais aparente do que nas DAOs. DAOs são uma nova governança primitiva que permite que forças democráticas latentes se reúnam e se organizem antes que as forças do poder e do capital possam estreitá-las ideologicamente. Isso permite a exploração de zonas de liberação não realizadas. Os usuários são partes interessadas que podem participar diretamente nas decisões de governança. Eles podem decidir sobre metas de desenvolvimento, recursos, salários, alocação de capital e investimentos.

O ideal da política é multiplicar os espaços públicos. A criptografia é, portanto, profundamente política. A política diz respeito à tomada de decisões relativas aos interesses coletivos da sociedade, como bem-estar, segurança e liberdade. Nesse sentido, política e democracia direta são sinônimos.

O antigo modelo de tecnologia é antipolítico porque remove a propriedade das pessoas e a coloca nas mãos do monopólio. O modelo antigo incentiva a passividade e a indiferença por design, reduzindo as pessoas aos consumidores. Esta é essencialmente a orientação da tecnologia moderna. Seu arco remonta a 5.000 anos, até a origem da própria civilização.

O verbete da Wikipedia para civilização diz:

A civilização concentra o poder, estendendo o controle humano sobre o resto da natureza, inclusive sobre outros seres humanos.

A história oscilou para frente e para trás na luta entre a sociedade democrática e o sistema de civilização estatal. Às vezes, isso se tornou um conflito aberto, enquanto em outras ocasiões levou a uma paz inquietante. O conflito entre as formas civilizacionais se acelerou na era moderna. A sociedade está sitiada por armas automáticas, aparelhos de vigilância e operações psicológicas que procuram minar a liberdade moral e política das pessoas.

Formações Políticas Autônomas

O totalitarismo não pode ser derrotado por meio da obediência. A conformidade apenas encoraja regimes de poder. O terror totalitário é liberado quando a oposição morre e os governantes não têm mais medo. A conformidade alimenta os totalitários e nunca leva à normalidade. A resistência é essencial para conter o aumento do regime totalitário.

Sociedades paralelas oferecem pequenas liberdade que nutrem ideologias de resistência e formam a base de uma nova sociedade. Eles podem ser sociedades orientadas para a tecnologia, economia, educação ou cultura.

Com DAOs e DeFi podemos trazer à vida a nação democrática onde múltiplas culturas, etnias e formações políticas coexistem com uma estrutura confederalista.

DAOs + DeFi = Formações Políticas Autônomas

Com os APFs, várias nações paralelas podem existir online, livres de coerção externa. Essas nações são propriedade de sua comunidade. As decisões fluem da base.

Multi-Chain

Há uma história de dinheiro que é assim: é o alvorecer da história. As pessoas estão trocando seus bens excedentes. Você tem uma maçã. Ela tem uma laranja. O comércio exige um meio de troca. O dinheiro surge.

Todos nós já ouvimos essa história. Exceto que é um mito. Isso nunca aconteceu na história.

Na Antiga Mesopotâmia, havia redes bancárias sofisticadas muito antes de o dinheiro existir. Essas redes ofereciam todas as operações modernas associadas a um banco, como operações de crédito, depósitos, câmbio e liquidação de dívidas. Babilônia, o berço da civilização humana, era o lar do próspero centro bancário da região e de um ativo mercado de futuros. O dinheiro saiu desse sistema de redes de crédito. Os comprovantes de depósito e os contratos futuros eram negociados na forma de fichas de argila que podiam ser quebradas. Só muito mais tarde, com o surgimento do império persa, o dinheiro bimetálico de ouro e prata foi padronizado.

A lição que a história nos ensina é a seguinte: as redes econômicas são primordiais. É a transferência de valor dentro das redes que dá ao dinheiro seu significado, não o dinheiro em si. O dinheiro herda propriedades diferentes das redes financeiras nas quais existe.

Em 2010, o conceito de moeda sonora universal foi fundamental para o surgimento do Bitcoin. Conforme a criptografia cresceu, vimos o surgimento de outras classes de ativos. Primeiro, vimos o surgimento de blockchains com seus próprios recursos exclusivos, como o Monero. Ethereum foi o primeiro a generalizar essa arquitetura, que foi seguida pelo crescimento do ERC20 e o boom inicial do ICO. Mas a natureza da criptografia mudou fundamentalmente. O DeFi deu início a um novo pensamento baseado no ecossistema que vê não apenas uma única moeda isolada, mas examina as redes de uma forma holística.

Anteriormente, costumávamos pensar sobre criptomoedas e seu blockchain. Este é Bitcoin, este é Monero, este é Ethereum. A maneira como as pessoas raciocinavam sobre a criptografia era como entidades atômicas auto-soberanas. Mas o DeFi está possibilitando um novo tipo de raciocínio. Pensamos em termos de ecossistemas e terminais, redes e fluxos de liquidez.

Com o DeFi, estamos vendo a sofisticação da criptografia e o surgimento de um sistema financeiro paralelo. Moedas específicas de blockchain estão sendo enfatizadas em favor de instrumentos e redes. A engenharia financeira permite que essas redes interajam, para reduzir a volatilidade e transferir ativos sem problemas. Este é o surgimento de uma camada protobancária para criptografia. Com ele, a criptografia ganhou uma vantagem radical. O sistema bancário é mais poderoso e mais fundamental do que o dinheiro.

Atualmente, 1% de todo o Bitcoin existe dentro do Ethereum e esse número está crescendo rapidamente. Esperamos que essa tendência continue.

Zero-knowledge

A criptoanarquia é a tática de usar a criptografia para criar um espaço de liberdade que não pode ser penetrado pelo poder e monopólios de capital com força coercitiva.

Este espaço de liberdade é a semente nascente de uma sociedade democrática. Essas estruturas sociais são resistentes ao controle do Estado e ao poder totalitário desde o início. Eles são programados com o código de resistência. São espaços que se opõem à atomização social e promovem laços comunitários voluntários entre aqueles que prezam a liberdade.

São espaços escuros usados por uma aliança de forças democráticas.

Zero-knowledge (ZK) é uma tecnologia poderosa, que se usada efetivamente abre vastas fronteiras de liberdade.

O ZK nos permite criar contratos inteligentes anônimos. Qualquer pessoa pode escrever um programa anônimo que é chamado de prova. Mesmo que os dados no blockchain sejam criptografados, a prova faz uma declaração sobre o que está acontecendo com esses dados. Não pode ser enganado e é totalmente seguro.

Ele abre um espaço de design totalmente novo de aplicações anônimos que antes não podíamos criar. A tecnologia está madura, esperando para ser aceita e aplicada.

Agora você pode estar pensando que há uma penalidade de desempenho para o ZK, mas na verdade o ZK é rápido. É mais rápido verificar uma prova ZK do que calcular a própria função não-ZK real. E não importa o tamanho dos dados, a prova é sempre um tamanho constante.

Por exemplo, podemos compactar um blockchain inteiro em uma prova ZK. Em vez de baixar 300 Gb de dados na sincronização inicial com a rede, você pode baixar uma prova de 22 Kb de que o estado atual foi calculado corretamente a partir do genesis. Já existem projetos que oferecem isso. Esta propriedade de ZK é chamada de sucinto.

Aqui está um programa simples: def foo(s, x, y): if s: return x * y else: return x + y

Digamos que Alice calcule z = foo (True, 4, 110). Para provar que z é calculado corretamente, Alice dá a Bob os valores de z, s, x, y e, em seguida, Bob executa a função para ver se obtém o mesmo resultado que Alice. Isso não é anônimo, pois Bob pode ver os valores que são inseridos na função. Em vez disso, Alice pode usar uma prova ZK para mostrar que ela calculou a função corretamente sem revelar os valores de entrada.

Usando essa técnica, podemos criar mercados financeiros completamente sombrios: uma rede econômica descentralizada global operando de forma totalmente anônima.

ZK é um poderoso espaço de design aberto para desenvolvedores. É também uma nova arquitetura computacional diferente do modelo de Vonn Neumann com o qual todos estamos familiarizados. Certos tipos de operações são mais favoráveis em comparação com outras, as quais levam algum tempo para se acostumar. Há muito escopo e exploração aqui para o avanço das ferramentas em torno do ZK, como compiladores que ainda são muito primitivos.

Este é o primeiro passo em direção a um novo modelo econômico de tecnologia que não se baseie na exploração dos usuários.

DarkFi

DarkFi é uma camada base para aplicações anônimas e contratos inteligentes que é interoperável em várias cadeias.

Veja o código aqui:

github.com/darkrenaissance/darkfi

DarkFi é um ambiente com uma linguagem para escrever contratos inteligentes zero-knowledge. A pesquisa ainda é incipiente, mas já temos nossa testnet operacional.

O ZK desbloqueia um espaço de design totalmente inexplorado de aplicações anônimas. Anteriormente, se você quisesse criar um aplicativo anônimo, teria que pensar em como combinar vários esquemas criptográficos existentes. Talvez fosse lento ou impossível. Mas com o ZK, temos um esquema criptográfico genérico que qualquer programador pode usar para criar aplicações anônimas.

Podemos criar serviços anônimos. Os usuários podem interagir com DAOs e mercados onde usam credenciais. Você anexa uma prova que diz que uma afirmação está correta. Nada mais sobre sua identidade foi divulgado. Os serviços são operados dessa maneira.

Aqui está um exemplo de um contrato inteligente para cunhar uma credencial:

github.com/darkrenaissance/darkfi/blob/halo2-burn/proof/mint.zk

Temos um servidor de bate-papo no Matrix em:

element.dark.fi

Já temos um testnet em ponte com as redes Bitcoin e Solana. Planejamos adicionar suporte para Ethereum e Monero em breve. Você pode executar o aplicativo e enviar pagamentos.

Nosso foco inicial serão trocas anônimas simples e um DAO para governança. Planejamos nos concentrar na construção de ferramentas organizacionais e expandir rapidamente nosso ecossistema. Junte-se a nós nesta aventura de construção de mundos.

Estamos procurando desenvolvedores políticos e oferecemos salários competitivos. Esta é uma oportunidade de ajudar a construir um ecossistema e haverá muitos mais projetos sendo lançados e financiados no DarkFi.

Todas as segundas-feiras às 16:00 CET em #dev em nosso servidor, temos uma reunião aberta de desenvolvedores por texto.

Somos mais do que os criadores de ferramentas. Nós construímos aplicações e equipes de suporte ajudar a construir-los. Congratulamo-nos com todos em nosso êxodo para a terra prometida da oportunidade.

Que haja escuridão

Sob essa máscara, há mais do que carne. Por baixo desta máscara está uma ideia. E as ideias são à prova de balas.

-V

Todos acham que haverá um grande evento macro político ou econômico nos próximos 5 anos. Todos estão profundamente descontentes com o poder e os monopólios de capital que governam sobre nós.

Qual é o próximo sistema para vir junto? Aqui está a resposta:

Não deveríamos estar pensando em sistemas. Os seres humanos não são objetos em um aparato matemático. Esse é o pensamento que nos levou nesta posição.

O pensamento que precisamos?

O que está acontecendo ao seu redor? O que as pessoas estão fazendo? Quais são os problemas que eles enfrentam? O que é verdade, beleza e bondade? Como podemos fortalecer essa face da humanidade e da natureza que desejamos fazer crescer?

Felizmente, fomos dotados de contra-economia agorista, não apenas como filosofia, mas como um poderoso agente de mudança. Use esse poder, faça as coisas acontecerem.

Os reguladores estão vindo atrás de nós. Eles nos veem como crianças com botas grandes demais para os pés. Precisamos ser colocados de volta em nosso lugar. Eles fazem isso de fora e de dentro. Aqueles anarquistas loucos entre nós são calados, recebem olhares bizarros, são rejeitados e repreendidos por agitar as coisas. Quem são essas pessoas e de onde elas vêm? Certamente, em suas gaiolas corporativas limpas, eles nunca teriam arriscado apostar no Bitcoin em 2010. No entanto, aqui estão eles se apegando ao sucesso, garantindo que as coisas sejam feitas da maneira certa.

A narrativa agora é sobre preocupações triviais do primeiro mundo: GameFi, ArtFi, SocialMediaFi - o entretenimento e negócios com celebridades.

Mas basta olhar para o que o poder e os monopólios de capital procuram impedir para entender o que é a chave para libertar a nação democrática.

Eles vão regular a criptografia, que permite a qualquer pessoa enviar criptografia para qualquer pessoa em qualquer lugar do planeta. Ou para estabelecer organizações privadas que são autogeridas. Isso destrói todos os modelos proprietários de monopólios de poder e capital.

A criptografia será dividida em duas. O RegFi ficará inutilizável e aparafusado. Vai ficar desdentado. O outro lado será o DarkFi underground. Vai ter mordida.

DarkFi não é um projeto ou uma empresa. Somos uma comunidade e um movimento.

A contra-economia nos dá ferramentas para arquitetar sistemas que capacitam comunidades livres.

A criptoanarquia é a tática de usar a criptografia para a contra-economia.

As tecnologias de privacidade estão emergindo mais fortes do que nunca e são completamente imparáveis.

Combine tudo isso e obteremos: DarkFi.

A escuridão está aqui e vai varrer nosso mundo digital. Não pode ser interrompido, pois os benefícios que traz são muito grandes. Todas as potencialidades latentes da humanidade que estão sendo empurradas para baixo terão permissão para subir ao topo. Este é um grande poder que deve ser usado com respeito.

Lembre-se de que cada revolução tecnológica na história teve opositores que queriam colocar o gênio de volta na caixa de Pandora. Mas eles foram arrastados chutando e gritando para o futuro contra sua vontade.

Não há julgamentos ou decretos sendo feitos aqui. Apenas declarações da realidade.

É pegar ou largar, é isso que vai acontecer. Bem-vindo ao futuro agorista.

Que haja escuridão.

Fonte: DarkFi’s Manifesto - The Coming Storm


O que fazer em situações de colapso no abastecimento de ÁGUA
Bitcoin e eu

Comments